Buscar
  • Larissa Cunha

Larissa Cunha: Uma lenda no fisiculturismo brasileiro


São 25 anos dedicados ao esporte! Larissa Cunha é uma das pioneiras do fisiculturismo no Brasil e um exemplo para todas as atletas que se aventuram na modalidade. Miss Universo 2009 na Inglaterra, duas vezes campeã Mundial (Malta, 2010 e Espanha, 2014), campeã Sul-americana 2007, três vezes campeã Brasileira (de 2006 a 2008), cinco vezes campeã Paranaense, campeã Paulista e quinta colocada no concurso de  Miss Universo (Alemanha 2018), Larissa é uma colecionadora de títulos! 

Títulos que acumula também na vida acadêmica:  é graduada em Educação Física, Nutricionista, Bacharel em Teologia, Especialista em Treinamento Desportivo, Especialista em Fisiologia do Exercício, Especialista em Fitoterapia, Acadêmica em Biomedicina e treinadora de atletas de várias modalidades de âmbito nacional e internacional.

E, além de todas as conquistas, Larissa é uma daquelas pessoas que abriu caminhos, rompeu barreiras e possibilitou que hoje o fisiculturismo fosse  mais reconhecido e praticado. Por isso, tenho orgulho de tê-la em minha coluna, em uma bate-papo sobre sua vida e carreira! Confira:



Renata Spallicci - Conte pra gente um pouco de sua trajetória no esporte. Desde quando você treina? Quando passou a treinar para se tornar uma atleta de fisiculturismo, e o que a impulsionou?


Larissa Cunha - Eu comecei a treinar com o objetivo de ser atleta aos 18 anos. Hoje, estou com 43. Então, são 25 anos dentro do esporte, pesquisas e estudo.

Aos 13 anos, acompanhava minha mãe e uma tia às aulas de ginástica. Naquela época, mulheres não faziam musculação, pois atividade física era “coisa para homens”. 

Eu ficava observando a aula e conversando na recepção da academia... Um dia, achei uma revista e comecei a olhar. Era  uma FLEX MAGAZINE. Fiquei impressionada com os corpos musculosos dos homens e mulheres e, saindo da aula com minha mãe, eu disse: ‘quero ser musculosa!!’ E cresci com esta ideia na cabeça. Aos 17 anos, fiz Vestibular para Educação Física. Na época, um professor na faculdade me ajudou a conhecer mais sobre o esporte, e eu contava muito também com o apoio de minha mãe. Juntos, eles conversaram com uma personal trainer e com uma nutricionista  para me ajudarem. Fiquei pouco tempo com elas, pois minha sede em aprender era maior. Em uma época sem internet, ficava horas lendo em bibliotecas sobre musculação, treinamento, nutrição e, mesmo nas bibliotecas, as informações eram bem escassas. Então, por meio de pesquisas, estudos, dietas e treino, na base da “tentativa e erro”, fui crescendo no esporte e na minha profissão.


RS - Você é uma das pioneiras do esporte no Brasil. Como foi para você quebrar barreiras e superar preconceitos?


LC - Há mais de 20 anos, fazer um esporte não reconhecido e com muito  preconceito, não era fácil. Tive alguns problemas, recebia xingamentos, críticas negativas. Mas nunca deixei isso me afetar, pois sempre acreditei que nossos sonhos podem ser realizados e que a nossa satisfação é o melhor presente que podemos nos dar.

Lutei muito contra preconceito no trabalho, entre colegas, em lojas... Mas tudo isso passou e, hoje, a musculação e o fisiculturismo estão em alta. Temos muitas modalidades, as quais podem ser praticadas por homens e mulheres, com corpos que vão desde os menos musculosos até os  gigantes. Categorias como Bikini, Welness, Fitness Model para mulheres atraem um grande público, assim como Mens Physique, Clássico para homens.

Eu gosto de ser grande, então continuo treinando pesado para manter meu shape dessa forma. Compito na Categoria feminina Extreme ou Miss Physique / Body, e gosto. Não me importo com comentários, o importante é que amo o que faço.


RS - Você foi também a primeira brasileira a vencer o concurso de miss universo na Inglaterra, em 2009. Como foi a sensação de chegar a este título?


LC - Indescritível. Foi a melhor sensação dentro do esporte que pude sentir. Competi com atletas consagradas no esporte, que eram favoritas: inglesas alemãs, russas.... Mas me preparei muito, fui tranquila e desfilei com alegria. Éramos 21 atletas e, na final, só ficaram seis. Quando me chamaram, fui para o backstage e depois voltamos, as 6 melhores,  enfileiradas lado a lado.Fizemos as poses e esperamos o juiz chamar.E veio: sexto, quinto e quarto lugares... Quando chegou à terceira colocada, eu já estava com as pernas tremendo e agradecendo a Deus. Eu achava que ia ficar em terceiro, mas não... Chamaram a terceira colocada... eu já estava em lágrimas. Quando chamaram a vice-campeã e não era eu...  Ajoelhei no palco e orei. Agradeci a Deus pela vitória. Saí correndo para  frente do palco e me jogaram uma bandeira do Brasil  (tô lembrando e chorando novamente, hihihi). Eu não sabia o que fazer. Comecei a pular e vieram me entregar o troféu. Uma linda estátua em bronze, um corpo feminino abstrato. Foi muito emocionante. Só quem vive isso consegue sentir a emoção. Mesmo descrevendo, é difícil explicar. 


RS - Qual sua rotina de treinamento?


LC - Treino de segunda a sexta às 11 horas. Tenho um método próprio de treinamento: MTT Mixed Techniques Training, elaborado por mim. Os estímulos são diferentes a cada treino para manter músculos e cérebro em  variação constante.A cada fase da preparação o treino é especifico, e a inserção dos exercícios aeróbicos também é necessário.


RS - E sua dieta?


LC - Minha dieta também sou eu quem elabora. Cada fase do treinamento tem sua especificidade. Toda a Suplementação Esportiva é da ADAPTOGEN SCIENCE.  A qualidade, tecnologia e pureza do suplemento fazem toda a diferença para o resultado final.


RS - Que conselhos daria para as meninas que querem começar no esporte? Quais os principais atributos necessários?


 LC - Primeiramente, escolha uma categoria na qual  seu corpo se enquadre. Muitas admiram corpos que têm estrutura diferente do que a sua genética pode alcançar. É imprescindível ter acompanhamento médico, nutricional e de um bom treinador. Disciplina , maturidade e autocontrole também são essenciais para manter toda a preparação e para sair de algumas situações de preconceito que poderão surgir.

Ter um corpo diferente chama  atenção, então, é importante saber sair de algumas situações constrangedoras. Mas não deixem de fazer aquilo de que vocês gostam ou com que sonham. Conquistar o que almejamos é maravilhoso, ninguém nos tira essa sensação, esta alegria!

Gratidão, Larissa, pelo papo e, principalmente, por ser uma pioneira no esporte e quebrar tantas barreiras para todas nós! São pessoas como você que nos possibilitam hoje ter mais reconhecimento no nosso esporte!


Busque seu propósito. Deixe seu legado.


Rê Spallicci


Fonte Original: http://www.espn.com.br/blogs/espnw/764484_larissa-cunha-uma-lenda-no-fisiculturismo-brasileiro

43 visualizações

© 2019 Uma produção nova ideia publicidade.